};

BLOG PERFECTA

Fevereiro laranja: mês do combate as leucemias

As leucemias são doenças malignas dos glóbulos brancos, geralmente de origem desconhecida. Elas acometem as células tronco hematológicas, também conhecidas como as células mãe, pois dão origem a todas as células do sangue. Essas células mãe se encontram nos espaços dentro dos ossos, na medula óssea, onde ocorre o processo de desenvolvimento celular, até se transformarem em células maduras e funcionais, e daí vão para a corrente sanguínea desempenhar sua função.
A doença tem seu nome ligado:

 

  • À velocidade da evolução, podendo ser aguda, quando aparece de forma rápida e abrupta pois as células param rapidamente de desempenhar sua função ou crônica, quando a evolução é mais lenta, pois as células vão perdendo gradativamente sua função. Não é raro ser descoberta por acaso quando o paciente faz um hemograma por uma razão qualquer, nem sempre associada a um sintoma. 
  • Ao tipo de células que afetam, podendo ser linfoides, linfocíticas ou linfoblásticas quando afetam os linfócitos ou mieloides ou mieloblásticas quando afetam o funcionamento mielócitos.


Combinando as duas classificações temos os 4 tipos mais comuns de leucemias:

 

  • Linfoide crônica: afeta principalmente adultos maiores de 55 anos. E rara em crianças

 

  • Mielolide crônica: aparece de forma bastante lenta, e acomete adultos

 

  • Linfóide aguda: é muito rápida, mais comum em crianças pequenas, mas também pode ocorrer em adultos

 

  • Mieloide aguda: também tem evolução rápida. Ocorre tanto em adultos quanto crianças e a incidência aumenta com a idade.

 

Blastos na leucemia mieloide

 

Diante da suspeita de leucemia o paciente é encaminhado para um hematologista para realização de vários exames para confirmação do diagnóstico e do tipo de leucemia. Essa confirmação é feita com a realização de um mielograma, sendo necessária a retirada uma pequena quantidade de sangue do material esponjoso de dentro dos ossos para análise citológica (forma das células), citogenética (dos cromossomas), molecular (para evidenciar mutações genéticas) e avaliação fenotípica (fenótipo das células)
O diagnóstico do tipo de leucemia é fundamental para a indicação do tratamento adequado. Os tratamentos geralmente adotam sessões de quimioterapia, tratamento de infecções e outras situações clínicas que podem aparecer no curso da doença. Algumas vezes o transplante de medula óssea é o tratamento indicado. 
Se diagnosticada precocemente as leucemias têm taxa de cura de 90% para crianças e de cerca de 50% para adultos de até 60 anos.


Referencias
Plano de Ação Nacional de Prevenção e Controle da
Resistência aos Antimicrobianos no Âmbito da Saúde Única 2018-2022 PAN-BR - 1ª edição – 2019 – versão eletrônica – consultado em 16/02/2022

https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/leucemia - – consultado em 16/02/2022