};

BLOG PERFECTA

Pipeta de Takives para realização de VHS

Velocidade de Hemossedimentação

A pipeta de Takives é usada para aspirar sangue a partir de qualquer tubo para realização do teste de VHS – Velocidade de Hemossedimentação ou Velocidade de Sedimentação de Hemácias.

Essa pipeta feita em vidro possui um pistão plástico interno. O pistão é o responsável pela aspiração da amostra até a posição “0” e formação de uma coluna de sangue. A pipeta é então mantida em posição vertical por 1 h, e depois de 1 hora é feita a leitura pela observação no menisco da parte vermelha do sangue em relação à escala da pipeta. Os resultados também podem ser obtidos por avaliação em 2 hs, mas as medidas em 1 h são muito mais frequentes.

A pipeta é graduada de 0 – 180 mm e tem escala de 10 mm. Os resultados são expressos em mm/h.

Os valores de referência são:

- Homens: 15 mm

- Mulheres: 20 mm

- Crianças: 3 – 13 mm

Para que serve esse teste?

O teste é VHS é um teste sensível, porém bastante inespecífico. É muito utilizado para detectar ou avaliar qualquer infecção ou inflamação. O sangue é coletado com anticoagulante, colocado na pipeta de Takives para eu seja medida a velocidade da separação dos glóbulos vermelhos do plasma.

Durante um processo inflamatório são formadas proteínas que diminuem a viscosidade do sangue, e desta forma aceleram a velocidade da hemossedimentação.

Não é necessário jejum, mas o paciente deve informar se faz uso de alguma medicação.

Qual o significado do resultado desse teste?

- VHS alto: pode indicar uma infecção viral ou bacteriana como por exemplo gripe, sinusite, amigdalite, pneumonia, infeção urinária, diarreia, etc. Pode também ser utilizado para avaliação e controle de algumas doenças crônicas como por exemplo polimialgia reumática, artrite, vasculites, tuberculose e câncer. Ou ainda outras situações que alterem a composição do sangue como gravidez, diabetes, obesidade, alcoolismo, alterações da tireoide, insuficiência cardíaca e renal etc. Algumas situações como doenças reumatológicas e câncer podem elevar o VHS para mais de 100 mm/h

VHS baixo: geralmente não tem muita correlação clínica, no entanto existem situações que mantém o VHS anormalmente baixo como por exemplo na policitemia, leucocitose severa, uso de corticosteroides, esferocitose hereditária, dentre outros.

A análise do resultado VHS tem que ser feita respeitando a história clínica do paciente. Muitas vezes são necessários exames complementares para o diagnóstico conclusivo.